Fat Boy é sem sombra de dúvidas a moto mais icônica da década de 90 com histórias nebulosas por trás de seu nome e seu lançamento.

Acredito que os apaixonados por Harley devem conhecer a história da Fatboy, porém, nunca é demais replica-la.

Pois bem, na década de 80 o Tio Sam foi tomado pelas grandes marcas japonesas e suas motos custom, como a virago e shadow da Honda, Vulcan da Kawasaki entre outras nakeds que literalmente dominaram o mercado americano.

Diante desse cenário a Harley realmente não conseguia emplacar as suas motos, até que no início de 1990, veio a grande sacada da marca centenária, o lançamento de uma moto que reunia tudo que uma Harley deve ter, robustez, peso, design e um visual clássico com uma pegada moderna, a lendária Fat Boy.

Mais como assim, Fat Boy? garoto gordo??? Não faz muito sentido não é mesmo?

É claro que faz total sentido e esse nome foi o responsável pela virada da Harley nos anos 90 e que perdura até os dias de hoje, tendo por trás dele a mais tenebrosa e algoz ideia de marketing nacionalista americana.

Veja que o americano é extremamente nacional e adora historias relacionadas a guerra, afinal, é o país com o maior poder bélico do mundo e sustenta uma boa parte da sua economia nessa indústria. Então, nada melhor que dar um tiro de canhão nas marcas japonesas com a União dos nomes das bombas de Hiroshima e Nagasaki, "Fat man" e "Little Boy" formando o sufixo Fat Boy.

Isso mesmo, FAT BOY é a união dos nomes das bombas de Hiroshima e Nagasaki lançadas sobre as cidade japonesas nas data do dia 06 e 09 de agosto de 1945, marcando um dos capítulos mais tristes da história recente da Segunda Guerra Mundial.

Após seu lançamento e o sucesso de vendas a Fat Boy teve sua imagem estampada em um dos filmes de maior bilheteria de todos os tempos "Exteminador do Futuro 2" que transformou em uma verdadeira febre mundial de venda.

A Harley nunca confirmou essa história, mas, para bom entendedor pingo sempre é letra, por isso vamos aos fatos:

1. a moto de lançamento foi confeccionada na cor cinza semimetálico com detalhes em amarelo que coincidentemente são as cores dos aviões "Enola Gay" e "Bock's Car" responsáveis pelo lançamento das bombas atômicas que devastaram as cidades japonesas em 1945;

2. o logo da harley estampado em todas as FatBoy's que são basicamente duas asas sobrepostas em um círculo, símbolo base da artilharia aeronáutica mundial;

3. as rodas da Fat Boy, são fechadas e que se assemelham demais com as rodas dos trens de pouso dos aviões bombardeiros B-29 (Enola Gay e Bock's Car).

4. Os mostradores analógicos e o botão de ignição parecem com os comandos dos aviões.

Mesmo diante de todos esses fatos, a Harley ainda diz, que são meras coincidências.

O que se sabe é que a FAT BOY é até hoje a moto mais vendida da Harley no mundo inteiro e o projeto original foi continuado de 1990 até o final de 2017, completando 27 anos de sucesso com a mesma plataforma. Em 2018, assim como todas a motos da montadora, passou por uma renovação brusca, modificando todo sistema de freios, suspensão, refrigeração, chassi, pneus, tecnologia, posição de pilotagem entre outros.

Agora em 2020 a Harley Davidson vai lançar uma versão Black da Nova Fat Boy e o mercado está ansioso para esse lançamento.